Professores e policiais terão regras específicas de Previdência

Com texto ajustado, profissionais precisarão de 25 anos de contribuição, mas com idade mínima de aposentadoria menor por causa das especificidades das categorias

Imprimir
Tamanho do texto Diminuir Fonte Aumentar Fonte

O texto da reforma da Previdência recebeu alterações para tornar mais simples, para algumas categorias, o acesso à aposentadoria. Por isso, professores e policiais terão regras especiais em função de especificidades dos trabalhos que exercem.

Antes, essas categorias seguiriam a regra padrão definida pela proposta original: 65 anos de idade e 25 anos de contribuição. Agora, com o texto ajustado no Congresso Nacional, algumas diferenças foram estabelecidas.

Para professores, que sofrem desgastes com a dupla jornada e presença em sala de aula, a idade de acesso à aposentadoria caiu para 60 anos. Também será preciso contribuir por 25 anos, para ambos os sexos.

Já os policiais, que colocam a vida em risco no exercício da profissão, a idade caiu para 55 anos. No caso dos homens será preciso contribuir por 30 anos e, das mulheres, por 25 anos.

O texto da reforma da Previdência tramita no Congresso no formato de proposta de emenda à Constituição (PEC). Para entrar em vigor, o texto precisa ser aprovado em dois turnos nos plenários da Câmara e do Senado.


Fontes: Ministério da Previdência Social e Câmara dos Deputados

Tags: Reforma da Previdência; Professores; Policiais;